Medicina Anti-Envelhecimento

Teremos finalmente descoberto o elixir da juventude?

Retardar o envelhecimento é cada vez mais uma preocupação generalizada da sociedade moderna.

Apesar de envelhecer ser um processo perfeitamente natural, a verdade é que (na maior parte dos casos) acaba por impactar negativamente a qualidade de vida do indivíduo, seja por questões de saúde física ou de autoestima.

Foi precisamente para fazer face a esta problemática, que há 22 surgiu oficialmente nos Estados Unidos da América o American Academy of Anti-Aging Medicine (A4M), uma organização sem fins lucrativos que tinha por objectivo a
promoção de uma nova abordagem clínica, a qual se denominou por medicina anti-aging (ou medicina anti-envelhecimento).

O foco da medicina anti-envelhecimento está na prevenção, actuando ao nível das causas básicas do envelhecimento, em vez de minimizar as suas consequências.

Ao contrário de muitas especialidades médicas, não espera que as doenças se manifestem e ao invés de as curar, previne-as, retardando assim o ritmo biológico do processo de envelhecimento - e ao reduzirmos substancialmente a velocidade com que envelhecemos, minimizamos aspossibilidades de patologias, pois iremos repor e receber todas as matériasprimas necessárias e indispensáveis ao nosso equilíbrio.

Ao aliar os conhecimentos e as terapias de áreas como a biotecnologia, genética,biorrobótica, nutrição, actividade física e modulação hormonal, a medicina anti-envelhecimento procura aproximar os nossos parâmetros biológicos, metabólicos e hormonais dos níveis encontrados em indivíduos saudáveis de 22anos – idade em que atingimos o nosso apogeu físico e a partir da qual começamos a envelhecer.

Nas consultas anti-envelhecimento o médico começa por traçar o perfil genético do paciente, por forma a avaliar a predisposição deste para determinadas patologias e a definir um tratamento preventivo personalizado.

A prevenção de doenças presentes na história familiar (nomeadamente oncológicas, neurodegenerativas ou cardiovasculares), a perda de peso, o ganho de energia e a procura de melhorias ao nível da sexualidade, são os principais
motivos que levam a que a medicina anti-envelhecimento tenha cada vez mais procura.

Uma vez que ainda não é oficialmente reconhecida como uma especialidade médica, a medicina anti-envelhecimento tem vindo a ser exercida por endocrinologistas, cardiologistas, cirurgiões plásticos e profissionais de medicina
geral e familiar.